quinta-feira, 29 de março de 2012

Edições Caiçaras lança "Perdas & Danos" de Madô Martins

A Edições Caiçaras lança Perdas & Danos de Madô Martins.

Belíssimo livro de poemas onde o lirismo da perda, do amor que acaba mas não finda, faz com que o avesso emudeça o silêncio para não perder a razão, o chão que tão incertamente pisamos quando o mundo parece estar de luto. Poema a poema Madô revira as delicadas nuances do sentimento que envolve a perda repentina do amado, a perda definitiva e atroz, sem chances ou esperança, nesse momento nos revela a sutileza de travesseiros repartidos pelas lembranças das dúvidas, sonhos e fragmentos da vida amorosa.

"Soube da tua morte / por amigos. / Eu, que há muito / te sepultara,
sete palmos abaixo da memória."

Estranhamente a morte renasce o sentimento e o amor aflora como quem "descostura pregas e bainhas" para depois recosturá-las palavra por palavra.

Perdas & Danos é um mergulho em noites onde "vestimos a dor pelo avesso", onde o feminino se mostra em suas mais contundentes contradições:

"No coração de tuas mulheres, / tantas, / pulsam amor e ódio

E ainda assim ser capaz do perdão, essa característica tão feminina e infinitamente superior.

"mas o tempo coará todo rancor
e só o que foi bom ficará."

Um livro para viver e reviver grandes amores. Um livro dentro de outros livros onde o leitor é levado por uma interessante correlação das palavras nos poemas que funcionam como links de sensações.

Márcio Barreto



Nota da Autora

As cinco fases do luto – negação, raiva, barganha, depressão e aceitação – estão representadas nestes poemas de pranto contido. Luto que imita o fado, em seus diálogos na segunda pessoa, e o tango, em sua dor inconformada, mascarada de fatalismo.
Os poemas mesclam as fases, espelhando a confusão própria de quem sofreu grande perda. Ao interrelacionar as páginas, a obra oferece ao leitor vários livros dentro do livro, que podem ser reconstruídos ao gosto pessoal.


Sobre a Autora

Madô Martins escreve poesia moderna, haicai, conto, crônica e, em 2011, lançou Avesso, seu primeiro romance.
Tem dez livros publicados e mais de 70 premiações literárias em concursos nacionais e internacionais (Portugal e EUA). Desde 2000, é cronista do jornal A Tribuna, de Santos/SP, aos domingos, no caderno Galeria. Também assina a coluna Letras Cotidianas no site www.midiativasantos.com e participa do site Cinezen, Facebook e Twitter. Realiza palestras e oficinas literárias.

Obras publicadas:
1999 - Doce Destino (Massao Ohno Editor), poesias
2000 - Paixão e Morte (produção independente), contos
2001 - Pensando em Verso (EditorAção), infantil
2004 - O Jacaré da Lagoa (produção independente), primeiro volume de uma série jornalística para crianças
2004 - Alfabeto do Vento (produção independente), haicais
2006 - Uma vez em 2284 e outras histórias planetárias (Editora Quártica), contos futuristas
2008 - Três meses no Japão (Editora Comunnicar), crônicas de viagem
2009 - Voo de Borboleta (Editora Leopoldianum, da Universidade Católica de Santos - Unisantos), crônicas
2011 – Avesso (Clube de Autores), romance
2011 – Diário Ínfimo (Sereia Ca(n)tadora), poesias

Contato com a autora pelo e-mail:
mado.escritora@gmail.com

Um comentário:

Francy´s Oliva disse...

Posso convidá-los a participar do evento:

Plural: sou trezentos e cinquenta!

Vamos premiar a melhor poesia da noite do evento com “trezentos e cinquenta reais”. Para tal, basta inscrever-ser. Envie para francysoliva@gmail.com até o dia 20 de abril de 2012 – três poemas, sendo que apenas um poderá ser indicado para ser lido na noite do evento. O poeta poderá fazer a leitura ou indicar o leitor.
Inscrições.
- o poeta deverá enviar os três poemas em anexo
- no corpo do e-mail deverá constar biografia: nome completo, pseudônimo, telefone de contato, e-mail de contato e nome de quem irá ler o poema.
Regulamento.
- a premiação será feita ao final do evento.
- o valor da premiação é de R$ 350,00 (trezentos e cinquenta reais)
- apenas um poema será premiado
- não haverá empate
- somente os poemas inscritos até o dia 30 de março irão concorrer ao prêmio.
- o poema deverá ser lido no evento de acordo com a programação do mesmo.
- o prêmio só será entregue mediante a presença do autor.
- caso o autor da poesia (o poeta) não esteja presente, a poesia não poderá concorrer ao prêmio.
- o poeta deverá escolher o poema que será lido e informar no e-mail.
- todos os poemas inscritos farão parte do varal de poesias e ficarão expostos no dia do evento.
Plural – sou trezentos e cinquenta

Dia 25 de Abril de 2012 – 19 horas
Local. Biblioteca Alceu Amoroso Lima
Rua Henrique Schaumann, 777 – Pinheiros/SP